Notícias Externas

Ester Base oils

Mato Grosso produziu 25,2 milhões de litros de etanol de milho em outubro

A União da Indústria de Cana-de-Açúcar, divulgou que a região centro-sul do país, que inclui o Mato Grosso, alcançou na segunda quinzena do mês de outubro deste ano, o maior volume já produzido de etanol de milho para a região, de 25,2 milhões de litros, o que representa um avanço de 125,4% frente ao que foi produzido no mesmo período de 2016. Com isso, a região já acumula uma produção de 318,6 milhões de litros de etanol de milho desde o início do ano, concebendo mais um recorde, diz o Instituto Mato-Grossense de Economia Agropecuária (Imea).

É importante destacar que tal avanço é reflexo da implantação da primeira usina exclusiva para a produção do biocombustível de milho no Brasil, localizada em Mato Grosso, aliada aos preços mais atrativos do milho como matéria-prima nesta safra. Apesar do consumo para este fim representar pouco frente ao que o país produz de milho, é aguardado novos investimentos para a produção do biocombustível em Mato Grosso nos próximos anos, que podem possibilitar a ampliação do consumo e da agregação de valor ao produto dentro do Estado.

Preço do milho

O preço do milho disponível continua se apoiando nas melhores ofertas do mercado interno, refletindo em uma alta semanal de 0,98% e cotação média de R$15,96 por saca. O contrato da CME para dez/17 apresentou avanço de 1,44%, devido, sobretudo, as movimentações técnicas e preocupações quanto ao clima mais seco na Argentina.

A relação frete/milho trabalhou com baixa de 1,89 pontos percentuais na última semana, sendo o fator determinante, a queda de 1,82% no preço do frete. O contrato da B3 de jan/18, finalizou a semana com desvalorização de 2,12% e preço médio de R$ 31,75/sc

Etanol de milho nos EUA

Os Estados Unidos lideram a produção de etanol no mundo, tendo como principal matéria-prima o milho, que são destinados boa parte do que o país cultiva para a fabricação do biocombustível. Dado a isso, o último relatório semanal divulgado pela Eia – U.S Energy Information Administration, em 17/11, trouxe que o país produziu na última semana o maior volume exibido desde o início do ano, de 6,8 milhões de m³/dia, o que representa um aumento de 1,9% em relação à semana anterior e de 5,9% ao mesmo período de 2016, oportunizados pela ampla oferta do cereal no país.

No entanto, de acordo com o Imea, o mesmo movimento não está sendo acompanhado pelo consumo, uma vez que, os estoques também aumentaram 1,9% na última semana, atingindo 21,9 milhões de m³, enquanto que em relação ao ano passado, o incremento é de 15,5%. Com isso, os reflexos do aumento de estoques estão sendo sentidos nos preços do etanol, que diante desse cenário, já apresentam uma desvalorização de 9,6% frente ao ano anterior.

Fonte: http://www.portaldoagronegocio.com.br/noticia/mato-grosso-produziu-252-milhoes-de-litros-de-etanol-de-milho-em-outubro-166301

UE discute novo marco regulatório de orgânicos

A União Europeia deve modificar o marco regulatório que rege a produção e venda de produtos orgânicos no bloco. As novas regras devem ser aprovadas até o início do ano que vem e modificam a regulação No. 834/2007. A confirmação do Parlamento europeu deve ser votada até Janeiro.

O setor de orgânicos na União Europeia experimentou um crescimento de 21% de 2010 a 2015 e representou 6,2 da área agrícola total da Europa. As negociações para reformar a política agrícola comum da Europa foram muito longas e iniciaram em 2014.

Para 2020, a União Europeia tem programado subsídios de até US$ 400 bilhões em todo o setor agrícola. Muitos estados-membros foram céticos em relação à necessidade de mudança na lei de orgânicos em função de que as regulações atuais possuem menos de 10 anos e o setor precisaria de mais estabilidade.

Depois dos Estados Unidos, o mercado de orgânicos da Alemanha é o segundo maior do mundo. Vendas de comida orgânica na Alemanha tiveram um recorde em 2015 com US$ 9,6 bilhões). Os alemães seriam chave para implementar a lei porque parece estar retirando seu apoio à nova regulação, segundo notícias da imprensa local. As novas regras devem passar a valer em Janeiro de 2021.

De acordo com o Departamento da Agricultura dos Estados Unidos (USDA), as novas regras devem facilitar as importações de orgânicos dos Estados Unidos com padronizações de processos e menos burocracia. O bloco importou aproximadamente US$ 9 milhões em produtos orgânicos americanos por ano recentemente.

Fonte: http://www.portaldoagronegocio.com.br/noticia/ue-discute-novo-marco-regulatorio-de-organicos-166263